Diversidade na Liderança

Diversidade na liderança: combustível para inovação e alcance de resultados estratégicos

17+

No caminho para o escritório, você dá aquela olhada rápida na agenda para se preparar para o dia e nota que marcou uma série de reuniões one on one com a sua equipe. Você chega animado, mas já na primeira delas, o colaborador diz que as pessoas do departamento estão estranhando o funcionário recém-contratado, por ele ser trans. 

No segundo encontro, é a vez da colaboradora (com os olhos cheios d’água) dizer que está na TPM e que não quer conversar, pedindo para você marcar outro dia. 

Finalmente, na última reunião do time, seu colaborador que é destaque faz um pedido: “eu gostaria de chegar às 11 horas da manhã todos os dias, porque meu relógio biológico não é como o dos demais. Eu poderia render bem mais se pudesse chegar e sair mais tarde”. 

Diante da solicitação e do fato de que a empresa não tem política de flexibilidade de horário, você pede um tempo para poder dar uma resposta a ele.

Você se identificou com algum dos cenários ou acha possível que eles aconteçam dentro do seu local de trabalho? Bem, na prática, esses são alguns desafios da Gestão da Diversidade. Vamos entender melhor neste artigo.

 

O quanto já evoluímos na questão da diversidade?

O conceito de diversidade vem do latim e significa variedade, pluralidade, diferença. Apesar de o Brasil ser um país extremamente rico e diverso em várias questões, ainda estamos atrasados nesse quesito. 

Pesquisas comprovam que, na percepção dos colaboradores, a chamada “discriminação oculta” tenta fazer com que a pessoa se sinta obrigada a estar “à vontade”, mesmo que ninguém queira tocar no assunto. Muitos pensam também que, quando as empresas apoiam causas como a LGBTQI+, é só por uma questão de marketing.

Essa ideia ganha ainda mais força quando vemos estudos que mostram que:

    • 66% dos LGBTs acreditam que assumir sua identidade poderá interferir negativamente em sua carreira;
    • Se continuarmos nesse ritmo, serão necessários 95 anos para alcançarmos uma equidade de gêneros no trabalho.

 

Quais são os obstáculos para a Gestão da Diversidade?

Nesse cenário, as organizações encontram alguns desafios pela frente. Listamos os principais deles e soluções simples, mas que podem ajudar bastante a trabalhar a diversidade na liderança.

Falta de Informação
Estranhamos muitas coisas pelo simples fato de desconhecê-las. Para combater essa prática, seja curioso, evite julgamentos e deixe que o tempo mostre a essência das pessoas. Procure ver o melhor de cada um. Tenha clareza e comunique as competências que farão a diferença nas entregas.

Atuação do RH 
Enquanto representante do capital humano, área de RH deve estar capacitada e instrumentalizada para acolher, treinar, receber e engajar as pessoas — independentemente de sua opção sexual, raça, horário biológico ou partido político.  

Políticas antidiscriminatórias claras e apoiadas pela liderança também podem ajudar. Além disso, todo programa ou iniciativa relacionada à diversidade deve receber foco como qualquer outra prioridade de negócio.

Mindset dos Líderes
Um estudo recente afirmou que os líderes de empresas em que se nota visivelmente a diversidade não têm habilidades diferentes dos de outras organizações. Eles apenas trabalham com uma mentalidade diferenciada. 

Esses líderes se tornam mais propensos a estimular o desenvolvimento pessoal, ampliando o conceito de diversidade não como apenas sinônimo de inclusão, mas como inovação, harmonia, resultados e sustentabilidade.

 

Mas por onde começar?

Diversidade Como Pauta da Agenda Estratégica
A diversidade deve estar presente na agenda estratégica da companhia. Afinal, ela indiscutivelmente gera lucro para os acionistas e precisa ser tratada como qualquer outro aspecto imprescindível para o alcance de resultados.

Não basta ser colocada nos banners e elevadores da empresa. É necessário estar presente nas atitudes imparciais entre colegas e líderes, nos salários iguais, nos critérios das decisões de promoção e em qualquer oportunidade existente no negócio.

Escuta Ativa Com Empatia de Verdade
O conceito de empatia pode ser confuso. Na maioria das vezes, procuramos nos colocar no lugar do outro e tentamos sentir o que ele sente para poder ajudá-lo de alguma forma. 

A questão é: somos diferentes! Não temos as mesmas histórias e não rimos da mesma piada! Temos histórias de vida diversas e isso é o que faz cada ser humano ter uma contribuição única para um grupo. 

Por isso, busque conhecer cada um da sua equipe e pergunte, sem julgamentos, o que é importante para ele. Enquanto líder, você precisa saber como pode ajudá-lo no dia a dia a manter ou a conquistar os seus objetivos, assim como entender o que é primordial para o seu bem-estar.

Conhecer seus preconceitos para lidar com eles
O preconceito faz parte da natureza humana, e o nosso desafio é viver bem com a especificidade alheia, sem desejar ou exigir a adaptação do outro aos nossos conceitos de certo ou errado. Estar consciente de quais são os seus preconceitos ajudará você a lidar com eles. Nesse teste gratuito de Harvard, você pode descobrir alguns deles. 

Muito além de gênero, PCDs, opção sexual, raça ou etnia, lidar com a diversidade na liderança é perceber que as diferenças entre as pessoas representam uma primorosa “matéria-prima” para a inovação e a competitividade nas empresas. 

 

Por que o debate da diversidade é essencial?

Só se faz mais com menos se existirem pessoas que pensam diferente. A soma de vários pontos de vista é o que vai gerar soluções incríveis e, às vezes, inusitadas. 

O fato é que as empresas inovadoras produzem líderes que fazem a Gestão da Diversidade. É só olhar para os números:

    • Na lista das melhores organizações para se trabalhar, 89% das pessoas afirmam que sentem abertura para serem elas mesmas quando estão no ambiente de trabalho;
    • Em ambientes em que a diversidade é reconhecida, 17% dos funcionários são mais engajados e dispostos a ir além das suas responsabilidades;
    • Quando, no quadro de funcionários, há 30% de diversidade de gênero, sendo 20% no nível sênior, as empresas apresentaram melhores resultados. 

Nessa lista, encontram-se empresas bastante conhecidas no mercado, a exemplo de Sodexo, Mastercard, P&G, J&J, entre outras.

Apesar de excessivamente tecnológico, o nosso presente está sedento de uma liderança humanitária e que possa acolher e saber lidar com as emoções e necessidades humanas. 

Para tanto, prepare-se para assumir uma liderança marcada pela capacidade de dar ao outro o que é importante para cada um, sem perder o foco no resultado e, principalmente, mantendo a saúde física e emocional das relações.

 

E você, o quanto está preparado para liderar a diversidade real? Aproveite para contribuir com outros profissionais e compartilhe este conteúdo em suas redes sociais

 

CURTIU ? 

17+
COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Comentários

- ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES -

Fechar Menu