LXP e LMS

Como o LXP e o LMS podem tornar um negócio inovador?

0

Empresas inovadoras investem no desenvolvimento pessoal e profissional de seus colaboradores, pois sabem que, além de serem seu primeiro público, eles são essenciais para o sucesso do negócio. Neste artigo, vamos tratar do LXP e do LMS, ferramentas-chave para a aprendizagem corporativa neste contexto de transformação digital.

LXP e LMS – Bons Negócios Investem Nas Pessoas

A aprendizagem corporativa tem se tornado cada vez mais essencial para as empresas que desejam inovar, porque as lideranças perceberam que, para conquistar consumidores e mercados, precisam de ideias e produtos que realmente resolvam as dores e os desejos dos consumidores finais. Para fazer isso, os colaboradores dessas organizações precisam adquirir e aprimorar conhecimentos constantemente. Nós, aqui na Afferolab, conhecemos bem essa realidade.

A transformação digital impôs às empresas uma mudança radical nos modos de produção e operação. Antes, elas eram product centric, ou seja, tinham ideias e logo partiam para o desenvolvimento delas. 

Com a globalização e a internet, a competitividade aumentou, e os consumidores ganharam autonomia, poder de influência e decisão. Por isso, as empresas mais resilientes ou nascidas nesse contexto são customer centric, mirando seu foco nas dores e na jornada dos públicos para depois partirem para a produção.

Uma realidade desafiadora

Esse cenário é desafiador para as empresas e os profissionais, que precisam rever os conhecimentos, os hábitos e as práticas que possuem. Para evoluir, é preciso “dar um F5” na cabeça toda hora! Temos que mudar nossa mentalidade e a forma de encarar o mundo e fazer as coisas. Por isso, as empresas têm se desdobrado para promover experiências de aprendizagem para o público interno.

Mas, como fazer isso, se todos temos uma jornada de trabalho tão intensa? Se estamos sempre correndo contra o tempo? Se tudo está mudando tão rápido? Se o volume de informação já é tão grande? Se há tantas incertezas e poucos recursos financeiros, especialmente atualmente? 

Qual é a melhor ferramenta? Quanto se deve investir? Haverá retorno sobre esse investimento? Como é possível medir os resultados e defender esse esforço entre as lideranças? São muitas as perguntas; por isso, vamos ajudar com alguns insights.

Quando o assunto é aprendizagem corporativa, os especialistas e as lideranças focadas nos resultados das organizações apostam em duas soluções: o LXP (Learning Experience Platform ou Plataforma de Experiência de Aprendizagem) e o LMS (Learning Management System ou Sistema de Gestão da Aprendizagem). As features de ambas atendem distintas dores e necessidades de empresas e colaboradores. Confira!

Como os conceitos de LXP e LMS auxiliam na superação desses desafios

O LXP é uma plataforma de experiência de aprendizagem que funciona como um ecossistema desenhado para abrigar e integrar todas as soluções disponíveis no mercado de educação corporativa, além de outras ferramentas de comunicação. É como uma espécie de portal compatível com inúmeros conteúdos, de diversos formatos. Sua arquitetura robusta e completa permite diversas integrações, inclusive das features do LMS de que falaremos adiante. 

Inteligentes, os ambientes LXP entendem a navegação do usuário, aprendendo sobre o comportamento e a necessidade dele e, com isso, passando a oferecer conteúdos mais úteis e adequados. É como se a plataforma fizesse uma espécie de curadoria e recomendação do conteúdo, como faz a Netflix. Trata-se um produto totalmente centrado na experiência do usuário; portanto, cada colaborador terá visualizações, interações e práticas únicas.

Os usuários têm autonomia para decidir que conteúdo consumir, como e quando, otimizando o tempo precioso deles e, portanto, o tempo de todo o time. Vendedores, por exemplo, que têm horários quebrados e cotidianos imprevisíveis, podem acessar o ambiente nos intervalos mais adequados da jornada de trabalho.

Mais protagonismo e autonomia para os colaboradores

Um dos principais desafios de uma empresa atualmente é engajar e manter seus talentos, especialmente os jovens, que são responsáveis por um turnover altíssimo, não é? O LXP motiva os colaboradores, uma vez que eles são protagonistas dos próprios aprendizados. Engajados, eles se sentem parte do time, ficam mais abertos e produtivos, além de interagirem e colaborarem mais entre si, vestindo a camisa da empresa. Quer coisa mais importante para uma organização que deseja crescer?

O LXP ajuda a superar certas dificuldades de adaptação do time às transformações típicas deste mundo VUCA (Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo), pois desenvolve habilidades essenciais. Alguém acostumado ao LXP torna-se mais flexível, resiliente e capaz de se adaptar a diferentes contextos, bem como aprende a analisar cenários complexos, desenvolvendo o pensamento crítico. Enfim, aprende a se reinventar, tornando-se um candidato potencial para entender, praticar e disseminar metodologias ágeis, por exemplo, tão essenciais para os processos, a produtividade e a inovação. Outro benefício do LXP é o estímulo à criatividade, uma vez que o colaborador é incentivado a compartilhar conteúdo, gerando ideias que podem fomentar a inovação e gerar resultados palpáveis para a organização.

Através de LXP e LMS, o trabalho centrado em dados

A estrutura tecnológica e os modos de operação do LXP apresentam métricas e produzem dados essenciais para que as empresas identifiquem tendências e padrões, assim como monitorem necessidades, avanços e gaps no aprendizado dos colaboradores, gerando insights ricos para a criação de estratégias mais assertivas.

O LXP é uma evolução tecnológica do LMS. Esta ferramenta é mais antiga e foi desenvolvida para atender as necessidades da área de Recursos Humanos das empresas. A arquitetura do LMS é mais fechada, porque foi criada com foco nas operações e métricas dos times desse setor, desconsiderando o dinamismo da navegação final dos usuários. A tecnologia aplicada nos ambientes LMS não permite atualizações rápidas de conteúdos e trilhas; por esse motivo, o conteúdo disposto neles é previamente definido pela organização e, portanto, mais estático. 

Apesar de apresentarem menor dinamismo, os ambientes LMS também são escaláveis, permitem interação e servem perfeitamente a determinados propósitos de aprendizagens que exigem trilhas mais rígidas, com controle de acesso e avaliações, assim como aquisição de certificações específicas

“Ok, mas que ferramenta devo usar?”

LMS ou LXP? Qual a melhor opção?

Um ecossistema ideal deve conter todas as features do LXP e do LMS disponíveis no mercado. Ambas as ferramentas otimizam a experiência de aprendizagem, e a definição pela ferramenta mais adequada depende de fatores como:

  • A maturidade da empresa com relação a esse tipo de experiência; 
  • Se a companhia precisa ou não ter controle sobre o consumo de conteúdos pelos colaboradores; 
  • Se ela precisa ou não de trilha definida; se o treinamento deve ser obrigatório ou não etc.

É preciso fazer perguntas-chave relacionadas aos objetivos da empresa e dos colaboradores.

Seja qual for o caminho escolhido, o LXP e LMS melhoram a produtividade de diferentes áreas, tornando a empresa mais ágil e inovadora. Tanto um quanto o outro são indispensáveis.

0

CURTIU ? 

0
COMPARTILHE:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

- ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES -