RH Digital

O RH Digital como agente de transformação da organização

3+

O RH Digital é um tema que ganhará bastante espaço aqui, no blog da Afferolab. A transformação pela qual o departamento de Recursos Humanos está passando valoriza a humanização através da tecnologia.

Não importa se a tecnologia como um todo apoia as empresas a mudarem radicalmente seu negócio, ou se simplesmente mantém as organizações competitivas em seu mercado de atuação. O fato é que a transformação digital é um tema que, há alguns anos, vem desafiando empresas e executivos a repensarem seus negócios.

Para entender como o RH Digital deve navegar nesse processo, precisamos primeiro entender qual é o desafio do negócio. A transformação organizacional por si só já é um desafio, e a digital é ainda maior. 

Um exemplo prático para entender a transformação pelo RH Digital

Podemos fazer a seguinte analogia: um maratonista profissional que quer mudar de esporte e pedala pela primeira vez sentirá que todos os seus músculos rejeitarão o novo esporte. Embora o maratonista seja um esportista, ao adotar uma nova modalidade deverá ter disciplina e rigor para se adaptar ao novo esporte. Nas empresas que passam pela transformação, o exercício de disciplina e rigor é o mesmo, e a chance de sucumbir aos novos desafios e voltar ao modelo antigo é enorme.

Segundo estudo da consultoria McKinsey publicado recentemente, apenas 16% das empresas pesquisadas estão seguras de que a transformação digital pode ser considerada um sucesso, o que é traduzido em melhoria de performance e mudanças sustentáveis de longo prazo.

E esses números variam de acordo com o tamanho da empresa. Companhias com aproximadamente 100 funcionários têm 2,7 vezes mais chances de serem bem sucedidas nessa empreitada do que empresas com mais de 50.000 funcionários, o que nos leva à conclusão óbvia de que o principal desafio não é a tecnologia, mas sim as pessoas.

O que é, afinal, a transformação digital?

Imagine uma empresa com o desafio de lançar uma nova oferta de produto ou serviço. Se essa ainda não passou pela transformação digital, contratará uma empresa de pesquisa para ouvir os clientes potenciais, fará focus groups, e perguntará ao cliente o que ele quer. Esse processo pode demorar meses, e ao lançar o produto, provavelmente a concorrente já estará na frente ou o item lançado estará defasado.

Uma empresa que já passou pela transformação digital com o mesmo desafio usará big data e irá acessar as mídias sociais para entender o que seus consumidores têm falado. A partir daí, cruzará esses dados com aqueles obtidos pelo call center, e antecipará a necessidade do cliente, ofertando algo que ele nem mesmo sabia que precisava.

Em resumo, a transformação digital é trazer tecnologia para melhorar a experiência do cliente interno e externo e aprimorar a forma como essa empresa opera o negócio e entrega seu produto ou serviço.

Como a transformação digital impacta o negócio?

Nem tudo que envolve tecnologia está relacionado a computação na nuvem ou Inteligência Artificial, mas se relaciona principalmente a tomar as melhores decisões em relação às tecnologias a serem adotadas para resolver os desafios do negócio.

É entender como operar em um ecossistema de parceiros e identificar valor para os dois lados da parceria. É entender que esse novo contexto traz novos formatos de trabalho, novas habilidades e formas de relacionamento. Esse processo requer que a empresa repense toda a forma de fazer a gestão de seus talentos, desde a preparação dos líderes, passando pelas soluções oferecidas durante toda a jornada do profissional na empresa.

E há muito o que aprender com as empresas que já nasceram digitais em relação ao desafio de talentos. É buscando encurtar esse aprendizado que as corporações realizam tantos benchmarks em empresas de tecnologia do Vale do Silício, que já nasceram com um mindset digital e já se fizeram todas essas perguntas. Mas, ao fazer isso, é importante que os profissionais tenham sabedoria para realizar as melhores escolhas, já que o que funciona para uma empresa pode não funcionar para outra.

Liderança e RH Digital nesse novo contexto

Como em qualquer processo de mudança, o exemplo da liderança é fundamental para que essa empreitada seja bem sucedida e sustentável. O C-level deve dar direcionamentos muito claros em relação à direção a ser adotada, mas só isso não é suficiente. 

Todos os funcionários devem estar engajados nesse processo para garantir que a Tecnologia seja, de forma natural, uma das principais soluções ao endereçar um problema do negócio.

Não estamos mais falando de dominar Excel, Power Point e Word. Estamos falando de entender como a lógica da Inteligência Artificial funciona e se essa é a melhor solução a ser adotada. Não é sobre saber codificar, mas entender quais os impactos e benefícios cada tecnologia traz ao negócio. Também é sofisticar o olhar sobre os problemas a serem resolvidos e fazer as perguntas certas. 

A melhor saída não é trocar 100% dos funcionários, mas conduzi-los nessa transformação, enxergar o novo contexto e identificar caminhos para trilhá-lo. Isso é fundamental para transformar o time e manter o nível de engajamento sem impactar os resultados do negócio. É o que chamamos de qualificação ou requalificação, em Inglês reskilling e upskilling.

Uma vez que o RH Digital se torna um agente importante desse processo, é fundamental que a mudança comece ali. Ao assumir uma posição estratégica, o time de RH consegue cumprir seus principais papéis, que são desenhar experiências engajadoras aos funcionários e apoiar as lideranças para que cumpram com maestria seu papel na gestão do time.

O RH Digital precisa olhar para os indicadores corretos

Como o RH chega a esse nível? Revendo com coragem os modelos operacionais vigentes; estabelecendo targets claros na digitalização dos processos; pensando e operando como um time de “designers de experiência”; e, principalmente, olhando para os indicadores certos.

O número de candidatos por vaga é um bom indicador para saber se a marca empregadora está positiva? Não se existem poucos profissionais prontos para as posições-chave que conduzirão a transformação digital, e se o pacote de contratação não é competitivo, o que fala diretamente com os modelos de carreira e remuneração. 

Número de horas em treinamento? É um indicador ultrapassado quando entendemos que o aprendizado é mais engajador quando é feito através de ações de micro learning, e acontece ao longo da vida, não em um evento de 8 ou 16 horas.

Hoje existe uma oportunidade única do RH Digital responder às questões que vem se fazendo há algum tempo, incluindo a clássica: qual seu papel no negócio, e como é possível apoiá-lo de forma estratégica. 

O primeiro passo para isso é atuar como um modelo de transformação digital para o restante da organização. Ao assumir esse papel com a coragem e o rigor necessários, o tema “pessoas” passará a fazer parte da agenda estratégica da Organização.

E você? Como planeja levar o RH Digital e seus conceitos para dentro da sua empresa? É fundamental receber a orientação de especialistas na aprendizagem corporativa, na experiência dos seus colaboradores e no desenvolvimento empresarial de forma avançada.

Através do processo de implantação do RH Digital, é possível obter uma série de insights que tornarão o processo mais fluido, abrindo o caminho para uma transformação real para sua empresa.

3+

CURTIU ? 

3+
COMPARTILHE:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

- ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES -